26
Nov 09

Eu sei que os rios correm lentos. Porque, observando os rios lentos, reparo que eles são diferentes dos rios rápidos. E, observando os rios rápidos, reparo que eles são diferentes dos rios lentos. Mesmo aos meus olhos lentos, os rios rápidos correm rápidos, e sei que os rios lentos nos meus olhos rápidos permanecem lentos. E às vezes os rios lentos fazem-se rápidos, e os meus olhos rápidos vêem-nos rápidos e os meus olhos lentos vêem-nos rápidos. Porque eles são rios rápidos nas fases em que não são rios lentos, nas fases em que as suas almas de água não precisam de vagares a caminho dos seus destinos. E às vezes os rios rápidos são rios lentos, são lentos quando são lentos, e é por isso que os rios rápidos são rios lentos e os rios lentos são rios rápidos, rápidos quando são rápidos aos meus olhos rápidos e aos meus olhos lentos. E sei também que o carácter dos rios nunca se altera com as suas vicissitudes. 

publicado por nanferdinan às 16:34

Um dos meus preferidos ;)
Demian a 27 de Novembro de 2009 às 17:40

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.


Novembro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
27
28

29
30


subscrever feeds
arquivos
2012

2011

2010

2009

mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO